Google+ Followers

25.7.08

Retornando em grande estilo.

Estou de volta ao blog, após um longo período, como se pode notar pela data do último post.

Nestes meses minha ausência se deveu à "imersão" em um projeto da GVT que lançou os produtos Smart (franquia em Reais), Turbonet Mega Maxx e Turbonet Mega Flex. Trabalho árduo e complexo, finalmente concluído, mas o reconhecimento e a recompensa - se vier um dia - será a Divina... Mas isto será assunto de outro post.

Meu retorno se deve ao recente ato de bravura e coragem do juiz Carlos Henrique Borlido Haddad, da Justiça Federal de Marabá, no Sul do Pará, que condenou os líderes do MST Luis Salomé de França, Eurival Carvalho Martins e Raimundo Benigno Moreira a pagarem uma multa de R$ 5,2 milhões, dentro de quinze dias, à empresa Vale, por descumprir decisão da própria Justiça, que proibiu a invasão e interdição da ferrovia de Carajás, em abril passado.

Eu já havia lido sobre decisões contra o MST no Rio Grande do Sul, onde alguns magistrados já entenderam que este "movimento social" não passa de uma quadrilha, com táticas de guerrilha comunista e cujo único objetivo é atentar contra a lei e a ordem vigente - quando não é apenas servir de instrumento para a exploração da miséria.

Este mesmo juiz foi responsável pela condenação de outra figura, o advogado e coordenador da Comissão Pastoral da Terra (CPT), José Batista Gonçalves Afonso, acusado de liderar invasão à sede do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) no município em 1997.

Parabéns, meretíssimo!!! É de pessoas com o seu discernimento (e coragem!) que estamos precisando, para começar a colocar algumas coisas nos trilhos em nosso país!!! Sei que Va. Excia. sofrerá os mais vis ataques daqueles que optam pelos criminosos, mas espero que persista. E no que depender de boa avaliação e aprovação, pode contar conosco!