Google+ Followers

7.4.10

Dias lindos.

Há algum tempo recebi um texto pela net, se bem me recordo de uma pessoa de nome Adriana, que falava sobre o Outono.
 
Com a chegada desta estação começamos a receber a visita daquele ventinho do sul, e com ele, o friozinho, que pouco a pouco vai nos obrigando a tirar os agasalhos do guarda-roupas. As chuvas do final do verão dão suas caras, algumas vezes causando grandes problemas... Águas de Março: é pau, é pedra, como já diria o poeta e a cantora.
 
Porém o belo é o que vem a seguir: manhãs lindas, com o sol alaranjado invadindo o exuberante azul do céu, na maioria das vezes extremamente limpo e claro. O nascer do sol é um espetáculo digno de ser presenciado nesta estação, em que pese a dificuldade de acordar - e principalmente levantar - com o frio que vai estabelecendo-se.
 
Segue o dia, às vezes com o céu límpido, às vezes com nuvens de algodão simulando um rebanho de carneirinhos e tantas outras imagens que podemos criar.
 
E finalmente, ao entardecer, o espetáculo maior: o pôr-do-sol! Ah, esse sim. Na hora da Ave-Maria, na qual morre o dia, o sol se põe no horizonte, cobrindo com seu dourado-avermelhado todo o horizonte e o céu. Pode-se ficar extasiado por minutos a fio, apenas ouvindo e observando encantado o final do dia e a noite avançando sobre o céu, que nessa hora é uma mistura de dourado, azul, laranja e vermelho.
 
O dia se vai, mas traz após si uma noite também linda. Seja uma noite de lua, seja somente de estrela, o céu do Outono é uma pintura, que embriaga a qualquer um que se disponha a admirá-lo por mais que alguns minutos.
 
Se vocês ainda não perceberam, se vocês ainda não notaram, juntem-se a mim. Seja bem-vindos ao clube dos admiradores dos dias lindos!