Google+ Followers

27.6.12

7 pecados capitais que você não deve cometer em uma corporação

SÃO PAULO - Andar na linha pode não ser fácil, mas como já imaginado é mais do que necessário em uma corporação - principalmente naquelas em que o comportamento costuma ditar as regras de convivência. Por isso, se você perceber que manter a compostura está complicado demais, que tal repensar suas atitudes e mudar esse jogo?

Segundo a especialista em Soluções de RH da De Bernt Entschev Human Capital, Aline Lumi Takushi, muitos profissionais costumam adotar uma postura inadequada por desconhecimento.

"Tivemos uma profissional da área comercial que certa vez postou, nas redes sociais, algumas fotos em traje de banho. A atitude não pegou bem, já que todos tinham acesso à página dela, mas isso foi logo corrigido após a orientação do gestor que aconselhou a colaboradora a usar filtros em sua página social", conta.

Nesta situação, assim como em tantas outras, foi o gestor o principal responsável pela mudança. "Nem sempre o trabalhador tem a percepção sobre o seu próprio comportamento e como o mesmo reflete em sua vida profissional. Por isso, o feedback é tão importante. Ele pode promover a autoanálise e gerar mudanças", diz a managing partner da Thomas Case & Associados, Izabel de Almeida.

Observe
Uma dica importante para evitar que pequenos erros possam prejudicar sua imagem na corporação é a observação. Isso mesmo! Observe o comportamento dos demais colegas e certifique-se de que suas ações estão realmente de acordo com as políticas da empresa em que atua.

E não se preocupe se alguém lhe der um feedback negativo. Por mais constrangedor que possa parecer, ouça a mensagem com atenção e não tente se justificar, afinal, somente assim você poderá se adequar, de fato, à cultura da sua empresa.

7 pecados capitais
Para ajudá-lo a identificar os erros mais inaceitáveis em uma corporação, o Portal InfoMoney consultou a opinião das profissionais Izabel e Aline, que juntas nos ajudaram a elaborar os 7 pecados capitais que você não deve cometer. Confira!

Gula: deixe de ser 'fominha' e aprenda a dividir seu trabalho com a equipe. Ninguém gosta de um líder centralizador, tão pouco de alguém que não sabe compartilhar suas vitórias com os demais contratados. Por isso, se você pretente manter o clima agradável, bem como seu emprego, que tal repensar a forma como você concentra e distribui suas atividades?

Avareza: acumular riquezas é bom, mas acumular demais, não. Reflita o quanto você deseja progredir na carreira e pense se está disposto a passar por cima das pessoas para atingir os seus objetivos. Se essa for realmente a sua intenção, tome cuidado: certamente sua jornada não será tão boa assim. "O avarento almeja tanto o crescimento que se esquece de analisar os caminhos que deve percorrer - e estes, podem não ser nada bons", diz Alice.

Luxúria: deixar-se dominar pelas paixões pode ser uma atitude nada positiva no trabalho, mais ainda se a pessoa do seu interesse trabalhar com você. Os casos de assédio sexual estão aí para provar esse fato. E mesmo se o envolvimento for consentido, redobre sua atenção: lembre-se que trabalho é trabalho e que a vida pessoal não deve afetar o dia-a-dia da corporação.

Ira: não digerir e metabolizar os acontecimentos pode trazer muita dor de cabeça. O outro extremo também não é nada bom, afinal, explosões de raiva não são adequadas para o ambiente de trabalho. Assim, se você deseja manter um clima agradável na corporação, que tal aprender a trabalhar a raiva e se controlar um pouco melhor? Resolva seus conflitos com seus colegas e não deixe para amanhã aquela conversa que você poderia ter hoje.

Inveja: invejar o crescimento do seu colega pode comprometê-lo em uma organização, especialmente se por essa razão você passar a adotar uma postura inadequada no trabalho. Que tal se ao invés de desejar a capacidade do outro, você investir nas suas reais aptidões?

Preguiça: aversão ao trabalho e lentidão demais podem realmente afetar seu desempenho na corporação, e isso, de uma forma muito negativa, acredite. Tenha em mente que empurrar as coisas com a barriga também implica em se empurrar para fora da empresa, afinal, seu chefe não terá preguiça de demití-lo. Tente descobrir os motivos do problema. Às vezes você pode não estar satisfeito com as tarefas que tem desempenhado na empresa ou mesmo precisa de vitaminas pela manhã.

Vaidade: vaidade bem dosada faz bem, mas em excesso faz com que seus colegas de trabalho o considerem uma pessoa chata. E sabemos que você não ficará nada contente de saber que seus colegas preferem almoçar ou fazer um happy hour sem a sua "maravilhosa companhia". Por isso, que tal conter seu ego um pouquinho? Talvez essa siples atitude possa ajudar a melhorar seus relacionamentos na empresa.

Nenhum comentário: