Google+ Followers

31.8.05

Indignação! É isso que nos falta...

Sr. Luis Inácio Lula da Silva:

Causa indignação a qualquer cidadão medianamente esclarecido ouvir ou ler a asneira abaixo, pronunciada por uma pessoa semi-analfabeta, despreparada, sem nenhuma ética, que 52 milhões de abobalhados colocaram na presidência da república do Brasil. Esclarecendo: asneira vem de asno ou burro.

O senhor passou a sua vida toda, juntamente com o seu partido (?!?!?!), mentindo para um povo até conseguir conquistar as consciências de 52 milhões de incautos que não sabem distinguir óleo de água e agora, depois de ter implantado no Brasil o maior esquema de corrupção jamais visto no mundo ainda vem dar uma de o mais honesto do país com essa afirmação desproposital, descabida e desrespeitosa.

Pois eu lhe digo, senhor Luis Inácio: eu sou um brasileiro de 62 anos de idade, não sou analfabeto, meus pais não eram analfabetos, eu recebi uma educação doméstica, moral e formal para dizer ao senhor o seguinte: me respeite! Respeite o meu pais! Respeite as pessoas que estão indignadas com a sua desfaçatez!

Se o senhor acha que o único repositório da ética e da moral deste pais é o senhor, pois fique sabendo que eu quero discutir com o senhor sobre ética e moral, cara a cara, olho no olho. Eu quero que o senhor me explique como é que Delúbio Soares e Sílvio Pereira armaram o esquema criminoso que resultou neste mar de lama que emporcalha a história do Brasil sem que o senhor, o José Genuíno e o José Dirceu soubessem de nada. Eu quero que o senhor me explique, cara a cara, olho no olho, porque Celso Daniel, prefeito de Santo André, foi assassinado friamente e o seu governo agiu no sentido de paralisar as investigações. Será que o senhor sabe o que significa obstrução da justiça? Pois foi isto o que o senhor fez, obstruiu a justiça. Se o Brasil fosse um pais sério, o senhor já estaria na cadeia só por isto.

Quero que o senhor me explique porque mandou a prefeita de São José dos Campos, Ângela Guadagnin, exonerar o secretário de finanças Paulo de Tarso Venceslau só porque este, que também fora secretário de finanças da prefeitura de Campinas, descobriu um esquema de desvio de dinheiro público operado pela CPEM que somente em 1992 desviou 10,5 milhões de dólares da prefeitura de São José dos Campos, sem falar nas outras três onde o esquema funcionava (Campinas, Piracicaba e Ribeirão Preto, esta última tendo como prefeito Antônio Palocci, atual ministro da fazenda), dinheiro esse que se destinava a alimentar o caixa 2 do PT.

Nesse esquema o Paulo Okamoto, que não detinha cargo público e era apenas militante do PT, fazia o papel que o Sílvio Pereira fez até ser desmascarado recentemente.

Note-se que estes fatos ocorreram há 12/13 anos atrás. Não é de hoje, portanto, que o PT se utiliza desses esquemas criminosos para suprir o seu caixa 2 e aumentar o patrimônio de seus integrantes. Inclusive o seu e do seu filho, o Lulinha, que recentemente recebeu da Telamar cinco milhões e duzentos mil reais como investimento numa empresa que eu não pagaria um centavo por ela. A troco de quê, senhor Lula, a Telamar deu essa dinheirama toda ao seu filho?

O senhor e seus asseclas vivem dizendo que tudo é culpa das elites brasileiras. Para mim, as elites que jogaram o PT e o governo Lula na lama
têm nomes: José Dirceu, Sílvio Pereira, Delúbio Soares, Marcos Valério e os que estão acima destes que o senhor tão bem conhece e eu não preciso citar.
O senhor é o chefe de todos eles.

Pois eu lhe digo, senhor Lula: neste pais nasceu antes do senhor um homem em condições de discutir com o senhor, cara a cara, olho no olho, sobre ética e muitos outros atributos que o senhor não possui, como por exemplo, capacidade administrativa, discernimento, iniciativa e coragem de tomar decisões. E digo mais: que eu não estou sozinho, pois o Brasil tem milhões de homens e mulheres que têm condições de discutir com o senhor sobre ética e moral. Quer me parecer que o senhor não entende o verdadeiro significado das palavras ética e moral, talvez seja este o caso, já que nunca estudou e se gaba de ter nascido de pais analfabetos. Na verdade, quem se gaba de ter nascido de pais analfabetos e de ter pouco estudo não tem o direito de ofender todo um povo arvorando-se no único repositório da ética e da moral.

Senhor Lula, o senhor foi colocado onde está por pessoas tão ignorantes quanto o senhor. Mas eu devo lhe dizer que os homens e mulheres de bem deste pais já estão de saco cheio com as asneiras que o senhor fala e faz e com suas bravatas, com a sua incapacidade sobejamente demonstrada em governar o pais e com o fato de estar se esquivando de suas responsabilidades nos desmandos praticados pela cúpula diirigente do PT querendo nos fazer crer que Sílvio Pereira e Delúblio Soares agiram sozinhos. Não creio que Sílvio Pereira e Delúbio Soares sejam tão burros assim. Só um idiota acreditaria nisso.

E digo-lhe mais uma coisa: pare de subestimar a inteligência dos brasileiros, pare de ofender os brasileiros, principalmente aqueles que
acreditaram em suas mentiras e suas falácias e lhe colocaram onde está hoje.

Está na hora do senhor devolver estes votos juntamente com um pedido de desculpas tomando a decisão de renunciar ao cargo para o qual o senhor nunca esteve preparado para exercer.

"Neste país está para nascer alguém que venha querer discutir ética comigo.
Eu digo sempre o seguinte: sou filho de pai e mãe analfabetos. E o único legado que eles deixaram, não apenas para mim, mas para toda a família, é que andar de cabeça erguida é a coisa mais importante que pode acontecer para um homem ou uma mulher. E eu conquistei o direito de andar de cabeça erguida neste país com muito sacrifício. E não vai ser a elite brasileira que vai fazer eu baixar a cabeça".

Trecho do discurso proferido ontem pelo senhor, presidente Lula, para uma platéia de petroleiros da REDUC, Duque de Caxias, e que ofende pelo menos aqueles que possuem ética e dignidade neste pais, o que não parece ser o seu caso.

Estou pronto para discutir com o senhor sobre ética e outros assuntos a qualquer momento que o senhor escolher. Isto se o senhor tiver coragem,
porque sempre foge do debate com a imprensa e com pessoas inteligentes.

A maioria do povo brasileiro está de saco cheio com o senhor e com o seu PT - Partido dos Trambiqueiros.

Otacílio M. Guimarães

30.8.05

O que é mais importante, Lula: o PT ou o Brasil?

É interessante escutar que 'o Lula não tem nenhum contato com o PT, não se relaciona com o PT desde que foi eleito...' e outras lorotas desse tipo. Tudo mentira! Aliás, mentir é (e sempre foi) a única especialidade desse pessoal...

Ao mesmo tempo ele 'destaca' três ministros para 'cuidar' do cambaleante PT: Berzoini, Tarso Genro e Jacques Wagner. Cabe a nós, simples mortais (e idiotas, na visão desse 'povo'), fazer uma simples pergunta: Presidente, para o senhor, o que é mais importante, o PT ou o Brasil?

Referendo contra a venda de armas de fogo e munição (I).

"Nosso adversário, que tem as armas na mão e se cerca de forças consideráveis, se cobre com a palavra de paz enquanto se entrega a atos de guerra." - Demóstenes

"Quanto mais corrupto um governo, mais leis contra a posse de armas" - frase atribuída a Cornélius Tacitus, historiador romano, 116 DC, em "The Annals of Imperial Rome"

É minha opção consciente e irreversível responder "NÃO" à proibição da comercialização de armas de fogo e munições, no referendo marcado para Outubro.

E vou explicar claramente os meus motivos:

Primeiramente os objetivos nebulosos dessa proposta maluca, a começar pelo próprio "Estatudo do desarmamento" (Lei 10.826, de 22 de dezembro de 2003 - DEC. Nº 5.123/1º.07.2004 - Regulamentação). Porque é que uma lei se preocupa tanto em "regulamentar" o uso de armas de fogo, praticamente inviabilizando o porte por 'mortais' comuns, e tornando extrememente difícil - e caro - o registro de armas, para depois proibir de fato o seu uso? Sim, porque caso o referendo valide a proibição da comercialição, ficará proibida a venda de armas e munições. E arma sem munição mal serve para enfeitar paredes. Vamos continuar a conviver com privilegiados que poderão importar munição, além daqueles privilegiados que atualmente podem portar armas?

Depois, é preciso pensar o seguinte: não são as armas que matam, são as pessoas. Pessoas mal-intencionadas, despreparadas, descontroladas... Seguindo esse raciocínio, posso dizer também que acidentes de trânsito, bebidas, cigarro e drogas matam muto mais do que armas. E então? Vamos proibir a comercialização de automóveis? De bebidas? De cigarro? Adianta alguma coisa, já que o comércio das drogas é totalmente ilegal, mas existe e causa-nos tantos males?

Eu sou pai! Sou responsável em primeira ordem pela segurança de minha casa e de minha família, em primeira instância. Não quero abdicar dessa responsabilidade em favor da polícia. Mesmo porque, apesar do enorme esforço de milhares de brasileiros abnegados que colocam suas vidas em risco por um salário insignificante - os policiais - a capacidade da polícia de evitar desastres é muito limitada. Todos sabemos que nosso sistema de segurança ja faliu há muito. O que não consigo entender é porque um governo que criou um Fundo Nacional de Segurança para 'investir' onze milhões de reais - e que não chegou a usar esse valor - vai agora gastar pelo menos mais vinte vezes esse valor - ou mais - apenas para proibir o comércio legal de armas!

Eu sou a favor da vida! E quero ter a opção de, em primeiro lugar, defender minha família e minha própria vida, podendo comprar, legalmente, uma arma de fogo e me capacitar a usá-la corretamente, e a ser responsável pelo seu uso.

Outro dia lí uma provocação interessante na internet, mais ou menos assim: Que tal você, que defende o desarmamento dos homens de bem com unhas e dentes, colocar uma faixa na frente de sua casa com os dizeres "Somos pela paz, não temos nenhuma arma nessa casa!". Os ladrões e assassinos não adorariam saber?

Quanto ao referendo, o TSE proibiu recentemente a manifestação de opinião pela midia. Isso depois da Globo usar e abusar de suas propagandas, chegando mesmo a exibir vinhetas especialmente preparadas para iludir aos incautos. E mesmo depois da proibição a Regina Casé apareceu nos seus quadros no Fantástico usando as crianças para fazer um "merchandizing" sobre o desarmamento.

Ser pelo NÂO no referendo não significa ser "armamentista", como querem fazer crer os mal-intencionados, aqueles que chamam de 'bancada da bala' os parlamentares contra a proibição. E as pessoas já incorporaram tanto essa confusão que, em uma discussão qualquer sobre esse assunto, basta mencionar ser pelo NÃO no referendo que já se é taxado de assassino em potencial, defensor dos crimes, contrário à vida! Mas ser pelo NÂO no referendo significa apenas declarar que cabe a cada um o DIREITO de optar por comprar uma arma legalmente, ou não comprar. Que o fato de comprar uma arma não nos pode tornar criminosos, e que o fato de possuir uma arma não nos transforma em assassinos em potencial.

Outro paradoxo impressionante que tenho observado é que pessoas declaradamente abortistas são a favor da proibição, da erradicação total das armas... Alguém poderia me explicar?

Voltarei ao assunto.

Veja alguns links onde se informar melhor sobre os reais objetivos do desarmamento e outros "pequenos detalhes" interessantes:

http://www.midiasemmascara.org/editoria.php?id=13

http://www.movimentovivabrasil.com.br/

http://www.apaddi.org.br/


http://www.votonao.com.br

Vale para um caso, não vale para outro... Pode?

O relator do processo de cassação do Roberto Jefferson afirma em seu relatório que o deputado fez acusações sem provas. Não existem provas do mensalão. E que o deputado recebeu quatro milhões do PT e não declarou isso à justiça. Mas também não existem provas disso. Existe a mesma declaração do próprio Roberto Jefferson em seus depoimentos na Comissão... Ao passo que existem inúmeros saques suspeitos efetuados por vários deputados ou emissários daqueles, em espécie.

Qual é a lógica? Dois pesos, duas medidas? Quando ele 'acusa sem provas' a existência do Mensalão, está cometendo uma falta grave ... Ninguém acredita! Mas quando diz que recebeu 'dinheiro não contabilizado' todos acreditam?

Que coisa estranha isso, não?



29.8.05

"Suposto"


Do mestre Aurélio : suposto. [Do latim suppostu]. Adj. 1.Hipotético, fictício...

Já não aguento mais a mídia desse país! Existem exceções... Raras e honradas exceções. Mas só para confirmar a regra... Tem toda razão o Diogo Mainardi.

O comprometimento com a 'causa' petista e sua claque é tamanha que não dá pra disfarçar. Alguns criticam, de vez em quando, só para não deixar transparecer o jogo sujo de ilusão e mascaramento da verdade. Ao contrário do ditado árabe : "O diabo fala a verdade nove vezes só para mentir com mais convicção na décima", nossos meios de comunicação mentem, escondem ou distorcem os fatos nove em cada dez vezes.

Uma palavra que tem me irritado sobremaneira é o título deste post: SUPOSTO! Alguns incorporaram-na aos textos e ao discurso de tal maneira, que parecem usá-la como sinal gráfico: Parágrafo, hífem, vírgula, travessão... É só abrirem a boca e lá vem um "Suposto"! É um tal de "suposto" escândalo, "suposto" mensalão, "suposta" corrupção, "suposta" conta do Duda Mendonça, "suposto" suborno do Maurício Marinho, "suposta" Land Rover do Silvinho!!! Santa paciência!

Suponho que a suposta intenção do uso de "suposto" é supostamente impregnar nossa mente de que tudo não passa mesmo de uma suposta ilusão, de que não há suposta prova de nada, de que é tudo uma suposta conspiração da suposta direita e das supostas elites para depor o Lula... Mas, é claro, isso é apenas suposto!

12.8.05

Poupe-nos, Lula! Adeus!

Hoje pela manhã eu estava pensando em escrever algo assim como " Fora, Lula! Já Chega!".

Depois de tudo o que aconteceu ontem, na CPI, com as revelações do Duda Mendonça, acrescentando somente veracidade às palavras de Roberto Jefferson, o governo vinha anunciando um "pronunciamento à Nação" por parte do presidente Lula.

O que eu esperava: o mínimo de verdade, de sinceridade, de reconhecimento de culpa e pedido sincero de - no mínimo - perdão! Como quase todos os brasileiros decentes e minimamente informados.

E o que faz nosso dignatário maior? Um discurso pífio, valorizando-se e a seu governo, referindo-se a conquistas que não são suas e resultados econômicos que não são mérito de seu governo. Exalta seu governo e a si próprio, e continua alheio à tudo... Não sei, não vi, não posso responder! Fui traído! (Por quem, Sr. Presidente? Por quem?).

Mente, dizendo que os organismos do governo estão empenhados em combater a corrupção, quando sabemos claramente que, não fosse o quiprocó entre Dirceu e Jefferson, não fossem as CPI's, jamais saberíamos do esgoto que corria sob nossos pés, no esgoto em que transformaram a República...

Falseia, dizendo que "o governo e o PT devem desculpas à nação, ao povo brasileiro...". Ora, mas quem é represntante máximo do governo, senão ele próprio, Lula da Silva? Quem é o PT, quem sempre esteve à sua frente e o simbolizava mais do que qualquer petista desse país?

"Desculpas", Senhor Presidente, é tudo o que temos ouvido nos últimos dias, quiçá meses, até anos... Desculpas, as mais esfarrapadas possíveis. Mentiras sobre mentiras e sobre mentiras... Versões e versões desconectadas dos fatos, da realidade, e que zombam de nossa inteligência...

Não, não dá mais pra aguentar! Jamais pensei que isso aconteceria, e, do fundo de meu coração, jamais desejei dizer isso antes de 31 de dezembro de 2006. Mas não me resta outra alternativa: Poupe-nos, Sr. Presidente! Adeus Lula! Vá em paz, e deixe-nos também em paz, para podermos tentar recompor, aos poucos, o que sobra de nosso país. Aqui, em nossas almas e em nosso coração, e no exterior.

2.8.05

Carta ao presidente.


Recebi este artigo por e-mail, e após contato com o autor, resolvi postá-lo aqui. Creio se tratar do pensamento quase unânime dos brasileiros em geral.

"SENHOR PRESIDENTE DA REPÚBLICA
(Ilton Carlos Dellandréa, Desembargador aposentado do TJRS)

O mandato que o povo brasileiro lhe outorgou foi para governar este país e promover seu desenvolvimento social, diminuindo a pobreza e a iniqüidade, melhorando as condições de vida dos cidadãos sofridos e calejados por más administrações anteriores.
O senhor se orgulha de fatos acidentais da sua biografia como se eles tivessem relevância na sua eleição. Mas tenha certeza de que foi alçado a esse posto não pelo fato de ser filho de pais analfabetos; não porque nasceu pobre e diz ter passado fome; não por ter sido sindicalista; não por ter perdido o dedo mindinho e se aposentado por isto; não por ter se valido dessas circunstâncias e ingressado na política; não por ter sido um perseguido político e até preso; não por ter sido fundador do PT. Se fosse assim haveria centenas de outros em iguais condições e teríamos que multiplicar os cargos de Presidente do Brasil.
O povo estava cansado da mesmice de administrações anteriores porque sempre foi ludibriado por acenos de melhores perspectivas que não ultrapassavam as porteiras da campanha eleitoral. Subir a rampa do palácio é muito significativamente um ato que importa em virar as costas para o povo e os presidentes levam isto ao pé da letra: esquecem suas promessas e se deixam levar pelos interesses partidários e das elites que o senhor diz combater mas que acolheu e protege.
Não tenho nenhuma prova de ato de improbidade cometido pelo senhor nem intenção de estar me comparando com quem quer que seja, nem com o rico que pode dispor de um veículo caro para dar de presente a um amigo nem com o pobre que mora numa favela e nunca terá condições de ter sequer um cavalo para puxar sua carroça de catador de papéis. Mas, de minha parte, outorgo-lhe procuração, ou a quem o senhor indicar, para investigar minha vida social, política e profissional e minhas contas-correntes, minhas fichas criminal e cível em todas as comarcas em que residi, desde que nasci e enquanto viver.
Garanto-lhe que encontrarão sentenças reformadas, decisões que tribunais consideraram equivocadas – nunca fui dono da verdade –, mas ninguém me acusará de qualquer atitude aética, desonesta ou imoral. A honra não é atributo exclusivo de pobres ou de ricos, de analfabetos ou intelectuais, de garis ou presidentes, de súditos ou de monarcas. A honra não pode ser mascarada; a honorabilidade pode.
Por isto, de igual para igual, tenho sim coragem de lhe dizer que o senhor não tem o direito de subir num palanque e tentar impor-se como dono absoluto da ética, da honestidade e da moral. O senhor não é o único nem o último brasileiro honesto. A grande maioria está na mesma situação que o senhor e eu. Estamos no mesmo nível de igualdade. Por isto ninguém, nem o senhor, tem autoridade de nos lançar advertências de palanque ou de nos desafiar promovendo-se às nossas custas.
A grande diferença – senhor Presidente – é que nem todos conseguiram juntar ao seu redor tantos homens que não detêm essas mesmas qualidades. Poucos presidentes deste país conseguiram se assessorar de tantos corruptos, de tantos desonestos, de tantos aéticos e amorais quanto o senhor conseguiu.
O senhor já é presidente. Nem que queira poderá ser mais do que isto pois já ocupa o cargo máximo da Nação. É preciso que se convença disto com rapidez porque o mundo no qual está apoiado está desmoronando. Muitos dos que estão lhe servindo de base estão caindo.
Por isto, ao invés da soberba do queixo empinado é bom que olhe, também, com humildade, para baixo, e veja onde põe os pés e por onde caminha. Caso contrário o senhor vai de roldão. Vai cair também. De cabeça erguida e dura, como uma estátua, mas vai cair.
(Ilton Carlos Dellandréa, Desembargador aposentado do TJRS)"

1.8.05

Cadê os "caras-pintadas" ?


Quando do episódio do impedimento do ex-Presidente Collor, nos anos 90, o 'clamor popular' chegou às ruas, ao povo, bem antes do cheque (que pagou o carro...) ter chegado como prova à justiça.

E olhe que, em se tratando do Estado, do regime e das instituições, os atos que culminaram com a queda de Collor eram bem menos graves que os que ora conhecemos. Afinal, tratava-se do enriquecimento ilícito, da apropriação de recursos de campanha e do Erário para benefício pessoal. O atual escândalo trata de, além disso, submissão da vontade popular - representada pela Câmara - aos interesses escusos de um governo e de um partido. Ou seja, uma séria ameaça à democracia e ao estado de direito. Uma ditadura disfarçada, baseada no poder econômico de um 'grupo', para não dizer de uma quadrilha.

E o ' povo' assiste à tudo pacificamente, com a passividade de ovelhas pastando...

Cadê os caras-pintadas? Cadê a indignação, a revolta popular e as 'massas' tomando conta das ruas? Será que perdemos tanto assim a vergonha na cara? Será que, após tantos escândalos, perdemos a capacidade de nos indignar? Será que não há mais a capacidade de mobilizar os estudantes, os sindicatos... Enfim, a 'sociedade civil organizada' ? Será que a desilusão com o PT, 'o último guardião da ética e da moral' foi tamanha, que causou este efeito, essa perplexidade ?

Ou será que o 'movimento das massas', a 'indignação popular' e os 'caras-pintadas' de outrora, na verdade, tratavam-se de um movimento muito bem orquestrado, talvez mesmo comandado por alguns dos que estão aí, com as vísceras expostas?

Saberemos algum dia?