Google+ Followers

3.12.14

Janot trabalha

É... O Márcio Thomaz Bastos se foi, mas fez escola...

Para quem não se recorda, o ex-ministro da justiça e advogado do PT foi quem encampou e deu curso à tese de que o MENSALÃO era somente Caixa 2, um crimezinho de nada, passível de multa e pronto!!! E com isso salvou a eleição do Lula - fraudulenta, pra variar - e o PT, passível de extinção por usar recursos do exterior... Entre outros pormenores. Agora vemos na Veja a seguinte notinha:

Então... O Procurador-Geral da República, homem com responsabilidade de promover a acusação das mais altas autoridades do país, já "trabalha" para livrar a cara do Governo... Ao invés de primar pela aplicação da lei (8.666/1993), que é clara, simples e objetiva:

Art. 88.  As sanções previstas nos incisos III e IV do artigo anterior poderão também ser aplicadas às empresas ou aos profissionais que, em razão dos contratos regidos por esta Lei:
I - tenham sofrido condenação definitiva por praticarem, por meios dolosos, fraude fiscal no recolhimento de quaisquer tributos;
II - tenham praticado atos ilícitos visando a frustrar os objetivos da licitação;
III - demonstrem não possuir idoneidade para contratar com a Administração em virtude de atos ilícitos praticados.

E o que diz o artigo anterior? Somente isso:

Art. 87.  Pela inexecução total ou parcial do contrato a Administração poderá, garantida a prévia defesa, aplicar ao contratado as seguintes sanções:
I - advertência;
II - multa, na forma prevista no instrumento convocatório ou no contrato;
III - suspensão temporária de participação em licitação e impedimento de contratar com a Administração, por prazo não superior a 2 (dois) anos;
IV - declaração de inidoneidade para licitar ou contratar com a Administração Pública enquanto perdurarem os motivos determinantes da punição ou até que seja promovida a reabilitação perante a própria autoridade que aplicou a penalidade, que será concedida sempre que o contratado ressarcir a Administração pelos prejuízos resultantes e após decorrido o prazo da sanção aplicada com base no inciso anterior.
§ 1o  Se a multa aplicada for superior ao valor da garantia prestada, além da perda desta, responderá o contratado pela sua diferença, que será descontada dos pagamentos eventualmente devidos pela Administração ou cobrada judicialmente.
§ 2o  As sanções previstas nos incisos I, III e IV deste artigo poderão ser aplicadas juntamente com a do inciso II, facultada a defesa prévia do interessado, no respectivo processo, no prazo de 5 (cinco) dias úteis.
§ 3o  A sanção estabelecida no inciso IV deste artigo é de competência exclusiva do Ministro de Estado, do Secretário Estadual ou Municipal, conforme o caso, facultada a defesa do interessado no respectivo processo, no prazo de 10 (dez) dias da abertura de vista, podendo a reabilitação ser requerida após 2 (dois) anos de sua aplicação.

Simples assim! E qual é o problema? O problema é que o Governo está comprometido além do pescoço nessa história!!! O problema é que a declaração de inidoneidade impediria as empresas de continuarem mamando nas tetas do Governo e alimentando o sonho da Pátria Grande...

Márcio Thomaz Bastos livrou a cara do Lula e do PT no Mensalão... Janot prepara a pizza para livrar, novamente, Lula, Dilma e o PT do Petrolão...

E aí??? Vamos deixar o mesmo golpe dar certo novamente???

20.11.14

Valeu a pena fazer revolução?

Dom Aloísio Roque Oppermann scj – Arcebispo Emérito de Uberaba, MG.¹

O que moveu os agentes da Revolução de 31 de março, a intervir na sequência politico-histórica do Brasil, foi o medo de acontecer uma instalação de regime de governo, de cunho socialista e marxista. O medo vinha, com realismo, da ilha de Cuba. Nós como cristãos, praticamos uma inata aversão a esses regimes ateus, porque sabemos quanto a Igreja sofreu e sofre nos países comunistas:  neles há necessidade de praticar o culto sob os olhos vigilantes do governo; de conformar-se com leis contrárias ao ensinamento de Jesus; de ver encarceramentos de seus líderes; de sofrer cerceamentos permanentes da liberdade. "Foi para a liberdade que Cristo nos redimiu"  (Gal 5, 1). Depois de 50 anos cabe-nos perguntar se aquele golpe revolucionário debelou os males que pretendia evitar.

Parece que os princípios de Hegel, de quebrar toda a estrutura social, para ver se aparece alguma coisa melhor do que esta sociedade, ainda conta com interesse em muitas escolas. Nelas permanece como sedução constante de uma "nova sociedade". A idéia de Marx de jogar um grupo contra outro, através da luta de classes, continua em alta. Mesmo que suas profecias de união entre os proletários não se tenham jamais cumprido, nem  a imposição sangrenta dos ideais comunistas tenha surtido resultados. Hoje parece que o método preconizado por Gramsci, de introduzir o socialismo entre todos, por métodos suaves mas furtivos, está na crista da onda. O meio é a ideologia e a educação a conta gotas, de modo que não se perceba a presença da poção venenosa. Assim, ficamos em dúvida diante das intenções reais do nosso poder público, frente à amizade com  regimes políticos estrangeiros; não entendemos se os médicos trazidos de países socialistas, vieram para ensinar ao povo que os indivíduos devem ser pagos parcimoniosamente em favor do grande partido; se eles vieram para mostrar que não se precisa de família; se a Comissão da Verdade não faz pesquisa seletiva;  se a escolha de certos líderes é para ameaçar a legitimidade da economia de mercado; se o projeto nacional de educação, com sua tônica sobre gêneros, de fato quer fazer perecer a família; se o desejo de intervir nos meios de comunicação é para estabelecer a ordem, ou é para  tomar conta daquilo que é diferente. O leitor veja se o futuro da liberdade hoje está garantido, ou se as nuvens escuras que se aproximam são prenúncio de tempestades. Não nos caberia um longo caminho de educação?


¹ Último artigo de D. Aloísio - com quem tive a honra de conviver quando era Pároco da Paroquia do Divino Espírito Santo, em Varginha-MG - publicado em 23 de abril de 2014 na página da Arquidiocese de Uberaba-MG, em http://arquidiocesedeuberaba.org.br/recentes/valeu-pena-fazer-revolucao. "Dom Roque" faleceu em sua casa no dia 26 de Abril de 2014, mas suas palavras continuam atuais, e muito propícias para o momento no qual vivemos!

28.10.14

Notinhas pós eleição...

Mal havia terminado a apuração e lá estava a figura deletéria com seu criador pulverizando perdigotos carregados das mentiras de praxe. 


Esperar-se o quê, de tão triste figura? Isso mesmo, ou pior. Combate à inflação? Combate à corrupção? Crescimento econômico? Mais saúde, empregos, segurança, educação, infraestrutura? Menos custo Brasil? Não! A prioridade é a reforma política. Agenda do Foro de São Paulo seguida à risca. E o que esperar da reforma do galinheiro conduzida pelas raposas, senão o derrubar das cercas e o amordaçar dos cachorros?


Façam suas apostas, eu faço as minhas. Por via das dúvidas, estou começando a estocar papel higiênico... Não que vá ser necessário pela quantidade de m***a que vem por aí, Petrobrás incluída. É que, como vamos caminhar céleres para a bolivarianização, rumo aos padrões de Venezuela, Equador, Bolívia, Argentina – entre outros. Então é provável que falte papel higiênico, pois, como vaticinou o brilhante "Maduro", o povo come mais e portanto, c*g* mais...


//--------------------------------


Frase memorável que vi ontem no facebook: 

"Se os porcos pudessem votar, o homem com o balde de comida seria eleito sempre. Não importaria quantos porcos ele já tivesse abatido no recinto ao lado." - Orson Scott Card

22.10.14

Vamos ser pragmáticos! Quem não é a favor, é contra! E contra a Dilma, contra o PT, no momento, é Aécio!

Como eu disse na véspera do primeiro turno, vamos ser pragmáticos! Nós não vamos convencer nenhum Petista (ou Petralha, como preferir) a deixar de votar na Dilma. Petismo ou petralhismo é mais do que uma religião...

Eu estou entre os que acreditam que os eleitores brasileiros estão dividos em três parcelas, igualmente distribuidas:
- 1/3 é petista roxo (tem alguns enrustidos, e outros não necessariamente Petralhas, graças ao bom Deus!). Tenho vários amigos assim, e não há o que faça mudarem de opinião. Fazer o quê? Somos um país democrático e livre - por enquanto...
- 1/3 é anti-petista de carteirinha, e não votam no PT nem que o candidato seja Jesus Cristo, Buda, Alá... Ainda bem! São estes que nos fazem manter viva a esperança de um futuro diferente.
- O 1/3 restante oscila e não é tão homogêneo assim, porém esteve namorando a Marina e, graças ao bom Deus, boa parcela tende para o Aécio. Nesse terço restante está uma potencial diferença para o Aécio ganhar a eleição: são os que votam  nulo, branco ou se abstém de votar.

Então são duas as missões para esta reta final da campanha:

1) Combater a mentira e o terrorismo petralha, e assim evitar que alguém desse 1/3 oscilante mude de opinião;

2) Conquistar pelo menos mais um voto - cada um de nós - para o Aécio, de alguém que votou na Marina ou outro candidato, votou ou pretende votar em branco ou nulo, e principalmente entre aqueles que se abstiveram de votar.

Vejam só: segundo o TSE, foram mais de onze milhões de votos brancos e nulos (9,64%) dos eleitores, e mais de vinte e sete milhões de abstenções (19,39%). Isto significa que os que não votaram ultrapassam os votos da Marina e de todos os outros abaixo dela somados!!! E se somarmos à eles os brancos e nulos, quase supera-se a votação do Aécio. É quase 30% dos eleitores do Brasil todo!

Então o desafio é esse: convencer quem não votou no primeiro turno a votar no segundo turno - e a favor do Aécio, claro! Quem não votou no primeiro turno pode - e deve! - votar no segundo turno. E no Aécio! Sabe aquele seu parente - tio/a, avô/ó, sogro/a, primo/a - que não precisa votar, porque tem mais qe 65 anos? Convença-o. Leve-o. Sabe aquele seu amigo/a que iria para a fazenda, para a praia, para o clube, iria pescar, lavar o carro, cortar grama ou assistir o Faustão? Convença-o. Leve-o para votar. E no Aécio!

Quem votou em branco ou anulou o voto, também! O argumento é simples: se você não quer a Dilma, não quer o PT, vota em Aécio! Porque votar em branco, votar em nulo ou não votar dá no mesmo: deixa o PT e a Dilma no poder! Deixa o destino de nossa nação nas mãos da quadrilha que tomou o poder e está nos levando para o buraco em todos os sentidos!

Quem quer mudança, não é a favor da Dilma ou do PT. Quem não é a favor da Dilma, do PT, é contra! E quem é contra a Dilma, contra o PT, no momento, é Aécio!

20.10.14

Seja sempre bom. Pratique o bem.

Seja sempre bom. Pratique sempre o bem.

Onde quer que você esteja, vá espalhado a semente de sua bondade. Faça isso com tal prazer que deixe, em toda a parte, as marcas do amor e da paz, que haverão de ser como rumos certos para os irmãos que vierem depois, a fim de que eles sigam os mesmos caminhos e imitem os exemplos do bem que você soube espalhar com tanta bondade.

Extraído de "Comece o dia feliz", de J. S. Nobre - Edições Paulinas, São Paulo-SP, 1990.

16.10.14

Do fundo do meu coração - ou "Melô do petista arrependido"

Eu, cada vez que vim aqui votar,
Eu pensei que fosse pra mudar
Roubalheira eu disse, nunca mais!
Mas, deste jeito estúpido provei
Desse doce amargo, eu nem sei:
O que é que você fez com a Petrobrás?


Vi, todo o meu futuro em sua mão
Deslizar, se espatifar no chão
Eu até chorei no MENSALÃO!
Mas, basta a merda que você já fez
Acabe com essa droga DILMA vez
Não voto nunca mais PT!


Mais uma vez aqui
Olhando as "diretrizes" com temor
Não vou votar, PT!
Pois sei que vou chorar a mesma dor


Eu sei que tenho que votar
Sem TEMER, sem PT!


Eu, toda vez que vim aqui votar,
Eu pensei que fosse pra mudar
E mais uma vez votei PT
Mas, já depois de tanta podridão
Eu até chorei no MENSALÃO
Não voto nunca mais PT!


Mais uma vez aqui
Olhando as cicatrizes e o rancor
Não vou votar,
PT, vermelho não é mais a minha cor.


Se você me perguntar quem se fudeu
Todo esse tempo, eu digo: Eu!
Que certamente você riu de mim
Mas, já depois de tanta podridão
De tanto companheiro na prisão
Não voto nunca mais assim!


Do fundo do meu coração
Não votem nunca mais assim!

6.10.14

Chega de balela, e vamos pra cima deles!

Vai recomeçar a campanha visando o segundo turno, e com ela as baixarias petralhas de sempre... 

Os argumentos na moda, usados por alguns indecisos de boa índole, e de alguns outros indecentes de má fé, é que "todo mundo é corrupto", "não foi o PT quem inventou a corrupção", "o PSDB tem seu mar de lama"... etc, etc e etc.

Para todas estas afirmações tenho as seguintes respostas-padrão, tal qual santinho de boca de urna:

1) Não foi o PT que inventou a corrupção. Ele a profissionalizou, institucionalizou e a pratica com uma incrível eficiência - e uma desfaçatez de fazer corar qualquer assecla mais sênior de satanás. E ao ser pego, o argumento favorito -  e que tem funcionado sempre - é que "não sabia de nada".

2) Nenhuma ocorrência das centenas de escândalos ocorridos na era Lulopetista foi decorrência de denúncia da oposição. Ou foram resultados de brigas de quadrilhas, da incompetência em praticar o mal-feito, de transbordos cujo odor fétido tornou-se insuportável, ou decorrência de esbarrões ou coincidências em investigações que toparam com algum companheiro na "militância prática", fazendo um bico para o partido. Em momento algum o aparato de vigilância e investigação do Estado foi posto em campo para investigar qualquer denúncia, antes pelo contrário: sabe-se que foi muito cerceado, e só entrou em cena ou foi adiante graças à perseverança - e risco - de alguns agentes abnegados e inconformados com o estado das coisas, que certamente colocaram em risco suas carreiras...

3) Se havia tanta corrupção no governo do PSDB, porque é que, após doze anos no poder, de posse e controle do TCU, Ministério Público, STF, STJ, Congresso Nacional, Polícia Federal, CGU, Ministério da Justiça, Advocacia Geral da União e todas as agências regulatórias, nenhum processo investigativo foi instaurado, e nenhum corrupto do governo anterior foi investigado e punido? É incompetência, complacência, cumplicidade... Ou seria a simples e pura inexistência de tais fatos? Seria a estratégia de manter uma mentira em suspense para não provar a verdade que não beneficia politicamente? Já quanto a petralhas pegos com a boca na botija... Bem, essa é fácil responder, não?

Então, vamos lá. Chega de balela, e vamos pra cima deles!


2.10.14

Vamos tirar o Brasil do vermelho!

Esta é a primeira eleição majoritária na qual vou votar com absoluta e irrestrita convicção. Isso pode soar estranho para aqueles com quem convivo e que me conhecem, posto que sabem minhas opiniões sobre os canditatos que escolhi - e não tenho nenhum receio de nomear - como o Aécio Neves para a presidência da República e o Álvaro Dias para Senador. 

Não sou afiliado ao PSDB e nem ferrenho defensor da maioria das idéias compartilhadas pelo partido, e até mesmo sou crítico ferrenho de algumas delas - como a defesa da liberação do consumo de maconha feita pelo ex-presidente Fernando Henrique, e de algumas práticas do PSDB no governo, especialmente as que favorecerem o MST e o peleguismo sindical. Porém minha convicção no voto tem outra motivação: o futuro. Desde os nove anos de idade tenho trabalhado duro e de forma determinada para melhorar de vida, garantir um pouco mais do que a sobrevivência e, depois de meu casamento, dar para minha esposa e meus filhos um pouco mais do que recebemos de nossos pais. E tenho orgulho de dizer que, mesmo aos trancos e barrancos, temos conseguido avançar nesse sentido. 

Porém, quando olho para o futuro, com base no que temos visto em nossa nação, abate-me o desânimo. Vejo o Brasil caminhando a passos largos para tornar-se uma Argentina, uma Bolívia, uma Venezuela - que, curiosamente, sumiram dos noticiários nessa época de campanha eleitoral, porque será? Vejo nossa geração novamente perdendo o rumo, sem possibilidade de reagir, e caminhando para uma velhice - ou terceira idade, se quiserm - sofrida e ameaçadora. E vejo meus filhos tendo esperanças de sucesso apenas deixando nossa pátria, ou deixando de lado os valores tão caros que insistimos em transmitir a eles para que pautem suas vidas como cristãos, seres humanos, cidadãos e pessoas de bem. Assusta-me ter que passar os dias vindouros sobre a batuta de corruptos, mentirosos e falsos defensores dos fracos e oprimidos. Até o momento conseguimos preservar algumas instituições da sanha autoritária e gananciosa deles, e morreremos tentando defendê-las. Mas até quando conseguiremos? As novas gerações mostram-se inocentes demais - ou comprometidas demais - para continuar a empunhar as armas e carregar a bandeira de nossas lutas, e nossa força certamente irá se esvair. Há uma contaminação generalizada, em que pesem alguns bolsões de resistência à essa dominação.

Mesmo considerando os danos sociais que o crack e demais drogas trazem a nosso país, afirmo com toda convicção: a mais nefasta e devastadora droga que nos assola tem cor, simbolo e nome: a cor é vermelha, o símbolo é uma estrela, e o nome é PT. É dessa droga que temos que nos livrar. Ela alicia, vicia, engana e mata. Mata roubando nosso presente e nosso futuro. E essa eleição é a chance de nos libertarmos desse mal: apear o PT do poder, seja o novo PT, representado pela dupla Dilma-Lula, seja pelo velho PT representado pela Marina.

Volto às minhas lembranças e busco no passado grandes nomes de Minas Gerais, como Tiradentes, Juscelino e Tancredo, e digo com todas as letras: para mim não há duvida, vamos tirar o Brasil do vermelho! É Aécio! 

4.8.14

Procure ser agradável em tudo o que tiver que fazer.

Procure ser agradável em tudo o que tiver que fazer.

A maneira com que você se apresenta na intimidade de sua família, como em público,significa muito para o Bem que você deve praticar.

Seja sempre suave e sua fisionomia, transmita sempre a paz onde aparecer, mostre sempre um sorriso que cause aos outros a impressão de que, apesar de viver entre problemas, voc~e é capaz de demonstrar essa bondade que só existe nos bons e nos que só pensam em praticar o Bem.

Faça do seu rosto o espelho da sua alma!

Extraído de "Comece o dia feliz", de J. S. Nobre - Edições Paulinas, São Paulo-SP, 1990.

Um bom dia, uma boa semana e um explêndido mês de agosto para você!

13.6.14

Recapitulando...

Vamos recapitular aquela aula de Moral e Cívica do Pré-Maternal da Tia Gertrudes:

- Quando você veste a camisa amarela, põe a mão no peito e deixa lágrimas rolarem pelo rosto ao cantar o Hino Nacional, pinta o rosto de verde amarelo e grita "Brasil-il-il-il" até ficar rouco, isso é PAIXÃO!
- Quando você deixa o churrasquinho, a praia, a fazenda, a pescaria, a pelada, e comparece àquela seção eleitoral para votar contra ladrões, corruPTos, incomPTentes, mensaleiros, quadrilheiros, terroristas, traficantes e toda essa corja que toma conta de nossa política, isso é PATRIOTISMO.

A primeira nos faz ter esperança a cada quatro anos, e sofrer por alguns momentos... O segundo, se não for consciente, nos faz sofrer por toda uma geração, e vem comprometendo nosso futuro.

29.5.14

Mensagem aos formandos 2013 dos CST ADS/TSI - Grupo Uninter (A famosa "Sala 31")

Profº. Ivo, Profº. Cláudio, Profº. Jairo e Profº. Charles,
Pais, Familiares e amigos,
Prezados Tecnólogos,

Nada se compara, nesse momento, à alegria do triunfo de vocês, ao sabor da conquista e à sensação da vitória, do dever cumprido. Por isso é difícil traduzir em palavras esse sentimento, assim como é difícil pensar em algo a ser dito que possa acrescentar-lhes algo que faça sentido, que toque seus corações. Por isso o que vou dizer tem apenas o objetivo de reforçar aquilo que vocês já sabem, demonstraram que já sabem, e também já colocaram em prática.

Nossa vida é o mais importante dom que recebemos de Deus. Seguem-se a ela o livre arbítrio, o direito que temos em fazer nossas escolhas – não sem o dever de aceitar as consequências advindas delas – e também a capacidade de amar e buscar ser amado, e a capacidade de aprender e assim evoluir e progredir. Então, busquem aprender sempre. Sobre tudo e com qualquer pessoa, mesmo com as mais simples, com os mais insignificantes fatos. Aprendam. E coloquem em prática o que aprenderam, para poderem ensinar aquilo que praticam, e assim dar o exemplo.

Nós atuamos em um ramo em que a mudança é constante: a tecnologia muda, e a tecnologia da informação muda muito mais. E as mudanças geram temores, medo. Medo de errar, medo de não ser competente o suficiente... Pois não tenham medo de errar. Não tenham medo de falhar, e de, se precisar, recomeçar. Não deixem de fazer algo pelo medo de errar, e não deixem de fazer o pouco pela incapacidade de fazer o muito.

Descubram e pratiquem sempre aquilo em que vocês são bons, e melhorem, e aperfeiçoem. Criem, inovem, critiquem, questionem. 

Sejam críticos e exigentes como foram durante o curso. Mas pautem sua conduta pelos valores que receberam de suas famílias, de seus professores e da sociedade, para não se deixarem iludir e nem enganar por falsas promessas.

E, para finalizar, não guardem nem desistam de seus sonhos!

Parabéns, e muito sucesso em suas carreiras e em suas vidas!

Luis Gonzaga De Paulo
Curitiba/PR, em 23 de agosto de 2013.

28.5.14

A falácia da segurança pública.


Passaram anos - senão décadas ou talvez um século - martelando em nossas cabeças que a questão da falta de segurança era uma questão social. Os menos favorecidos caiam na marginalidade premidos por suas necessidades mais básicas, o que os impelia ao cometimento de pequenos crimes, cuja repressão alimentava o moto-contínuo da maldade e do sentimento de vingança, inveja e ódio... E então formava-se o cadinho social, a gênese que conduzia homens puros de coração a praticar todo o tipo de mal, abriam-se-lhes as portas do inferno e da perdição! A despeito de existirem milhões - bilhões até -  de pobres e miseráveis lutando para sobreviver com o mínimo de dignidade, de honestidade e de honradez, e apesar de existirem infindáveis criminosos da alta roda, privilegiados que optavam por uma vida bandida, o discurso se manteve -  e ainda encontra eco em boa parte das cabeças pensantes, falantes e atuantes, aqui nessas terras tupiniquins e alhures. Mas havia uma solução! Uma não, várias!!! Distribuição de renda! Políticas afirmativas! Vamos corrigir em alguns anos o que erramos por décadas, séculos, milênios de história... Toda a maldade e do egoismo humano! Como? Repartindo desigualmente, corrigindo a distorção causada pelo esforço e pelo mérito e tornando-nos todos desigualmente iguais, ora essa! Mágica solução, tal como na fábula do reformador do mundo, colocamos as abóboras nas frondosas jabuticabeiras e as jabuticabas nos raminhos das abobreiras! Pusemos as vacas para voar no céu infinito e os minúsculos pássaros para pastar em cercados. E assim, corrigimos essas distorções mundanas e humanas...

Depois veio o discurso pacifista. Primeiro nos convenceram que nossas crianças assimilavam a violência assistindo filmes de caubóis e índios, faroeste, policiais, guerras... Heróis de arma na mão? Um despropósito!!! Brincar com armas de fogo de brinquedo? Oh! Que horror! Ensinarmos nossos filhos a matar com arco e flecha ou espadas de brinquedo, estilingues e revólveres de espoleta? Crime!!! Onde já se viu??? Então foram banidas todas estas aberrações que acalentaram nossa infância e adolescência criminosa por séculos a fio... Armas de fogo de verdade então? Criminosos em potencial às pencas? Nãoooooo !!! Jamais !!! Desarmamento já! Entreguem suas garruchas, espingardas e revólveres - alguns em posse das famílias por gerações a fio - e tirem a morte de dentro de suas casas, das ruas, do trânsito, dos bares, das festas!!! E lá seguimos o canto da sereia, e fomos reformando o mundo... Sempre em busca de um mundo melhor!

Caminhamos - ou melhor, dirigimos - um pouco mais, e vieram os apelos contra os crimes de trânsito causados pelo consumo de bebidas alcoólicas. Criou-se o novo código de trânsito, multas em profusão, cassação de carteiras, etc... Veio a lei seca: uma taça de vinho e você transforma-se em um monstro assassino cuja intemperança e potencial destrutivo só podem ser comparáveis às do incrível Hulk - se bem que alguns de nós ficamos vermelhos, e não verdes, com uma taça de vinho! Estatísticas e estudos, propaganda, blitz pra todo lado, operações "isso e aquilo", multas em profusão... E lá fomos nós dirigindo no sentido do mundo perfeito... Se bem que alguns perderam a carteira e foram de táxi, uns poucos de ônibus mesmo, enquanto pouquíssimos foram a pé!

Mas... O tempo é o senhor da verdade! E passados poucos anos, nossa "reforma da natureza" conduzida pelos mais puros e sinceros ideais igualitaristas, desarmamentistas, abstemistas e outros "istas" - esquerdistas, enfim - mostra continuamente seus resultados anos após ano. A criminalidade explodiu. Somos mortos como insetos em incêndios florestais. Mais de 50.000 por ano só com armas de fogo... Mais de 50.000 por ano em acidentes de carro... Embora presos em nossas casa - com toque de recolher implícito na maioria das cidades, mesmo as mais pequenas - continuamos sendo mortos na frente de nossos familiares, nas portas de nossas casas... Morremos no ambiente de trabalho, no trânsito, nos ônibus, nas ruas, nos estacionamentos, em cinemas, nas escolas... Morremos, morremos, morremos!!! Os que escapam da morte e dos danos físicos morrem psicologicamente - ficam sequelas que nem mesmo o tempo consegue minorar.

E agora, meus caros? E agora, "nova ordem mundial" progenitora de soluções miraculosas e reformadora do mundo? Qual é a nova receita? Devemos nos extinguir como raça para preservar a "beleza natural"? Devemos abdicar de mais alguma coisa em proveito do "novo mundo possível"?

Como não ouço nenhuma resposta que não seja mais um canto de sereia, mais uma falácia, vai aqui minha modesta opinião: chega de "progressismo". Vamos voltar a chamar as coisas pelo nome correto, vamos voltar a fazer uso do livre arbítrio e da responsabilidade. Vamos dar aos seres humanos a liberdade de escolher entre o bem e o mal, e a responderem por suas escolhas na proporção do que lhe causarem e causarem a outrem. Chega de paternalismos, interferências do estado na vida privada. Chega dessa busca desmedida pela igualdade, pois se somos todos iguais enquanto espécie, ao mesmo tempo somos únicos como indivíduos.

A falácia da segurança pública demonstra isso: enquanto tratamos cidadãos de bem como bandidos, e bandidos como cidadãos de bem - ou até melhor que isso - os bandidos nos tratam como um rebanho, sempre à disposição para oferecer mais uma vítima. Já dizia um ditado russo bem apropriado: "Vista-se de cordeiro e os lobos não tardarão em aparecer!".

12.5.14

O amor é lindo.

Percival Puggina - http://www.puggina.org/

Tenho certeza de que você conhece alguém assim. Pessoa idealista. Cheia de boas intenções. Levava a maior fé no PT oposicionista do século passado. Empolgava-se com a severa vigilância moral que o partido exercia sobre os governos e governantes aos quais se opunha. Enfim, o partido de seus amores não roubava e não deixava roubar. Percebia maracutaias a quilômetros de distância. 

Essa pessoa votou no Lula, em vão, durante três eleições. Persistiu até que, finalmente, em 2002 - Aleluia! Lula se elegeu. A partir daí PT poderia investigar tudo e nada permaneceria oculto nas gavetas e nos armários. Com a posse de Lula em 1º de janeiro de 2013 passavam às diligentes e virtuosas mãos do partido todos os meios necessários para acabar com a colorida tucanagem. Até um novo procurador-geral o PT nomeou em junho de 2013 e ele recebeu as chaves das silenciosas e supostamente cúmplices gavetas de seu antecessor. Mas o novo procurador - surpresa! - nada desengavetou, que se saiba. Nem ele, nem a PF, nem o CADE, nem a Receita Federal, nem a ABIN, nem o BC, nem a CGU. Silêncios sepulcrais! Na miríade de ministérios, repartições federais e empresas estatais, nada apareceu, nem que fosse para comprovar minimamente o muito que antes se denunciava. Nem um grampeador sumido. E olha que depois de tanto estardalhaço, de tanta reputação assassinada, havia um quase dever moral de apontar pelo menos duas ou três falcatruas. Afinal, todos os contratos, concorrências, convênios que vinham dos nebulosos tempos pretéritos, estavam ali, para serem vasculhados, escrutinados. Mas nada foi feito e nada foi dito. O assunto se dispersou como uma nuvem que passa sem chover. 

Um ano e meio depois, o PT virou alvo do maior escândalo político da história republicana! E nem para se defender o partido decidiu fuxicar no governo tucano. Já os escândalos petistas e de seus associados, esses não mais pararam, numa sequência infindável. Não satisfeito, o PT se uniu aos maiores patifes da política nacional. Trouxe ao braço e abraço todos aqueles a quem combatera. Santo Deus! Sarney virou homem forte no Congresso. Renan Calheiros, Jader Barbalho, Fernando Collor (até ele!) prosperaram como fungos à sombra do novo governo. Maluf virou aliado, merecedor de afagos, com fotos para a mídia benevolente em meio às ninfas e tritões de seus jardins. 

Por mau caráter ninguém deixou de ser recrutado para a corte petista. E o outrora sensível faro do partido não percebe mais a sujeira nem na sola do próprio sapato. O infeliz eleitor sobre cujas agruras iniciei falando, ainda defensor ferrenho do petismo, ainda movido pela afinidade ideológica, tem que ir catar nos tenebrosos armários e gavetas dos governos anteriores (aqueles que o PT dizia conter assombrações) motivos para exalar, em derradeiro suspiro, alegações de que "os outros eram ainda piores". Não é de causar compaixão? Deve doer como um nó de tripa na consciência. Logo ele, um cidadão do bem, um varão de Plutarco, precisa argumentar como aquele sujeito que defendia a namorada com alegações de que as outras eram ainda mais vadias. É um caso de mansidão submissa. Mas o amor é lindo.

8.4.14

VAMOS DESPRIVATIZAR O BRASIL!

Acordei hoje com a ideia de lançar a campanha "Vamos DESPRIVATIZAR a Petrobrás!", mas pensei um pouco mais, lembrei-me da conversa com meus amigos professores ontem na faculdade, e concluí que isso é impossível... Pois temos que DESPRIVATIZAR O BRASIL!!! Isso, temos que apear o PT do poder, pois ele PRIVATIZOU o Brasil para si próprio, para os "cumpanhêro" que querem sua "independência financeira" e a eternização no poder!!!

Tá aí então: Está lançada a campanha "VAMOS DESPRIVATIZAR O BRASIL! O Brasil é nosso, e não do PT!"

Em Outubro vamos expulsar os invasores do Estado apeando o PT do poder, democraticamente, pelo voto!

5.3.14

As 5 regras “de ouro” da boa comunicação.

Qualquer profissional que queira que as coisas se concretizem no trabalho e nos negócios deve começar a se comunicar com as pessoas, sair do isolamento. Afinal, a comunicação não é luxo é uma necessidade, como diz Marcos Gross em seu livro "Dicas Práticas de Comunicação: Boas Ideias para os Relacionamentos e os Negócios" (Trevisan Editora).

"Líderes segregados nas suas torres de marfim podem desarticular equipes inteiras de trabalho quando não compartilham conhecimentos com grupos de outros níveis organizacionais", escreve o autor.

O livro é na verdade um guia de consulta com 51 conselhos para quem está interessado em desenvolver esta competência cada vez mais valorizada no mercado de trabalho e fundamental para o sucesso na carreira. Abaixo, você confere cinco dicas fundamentais que estão presentes no livro e que podem ser consideradas as "regras de ouro" da boa comunicação. Confira:

1. Atentar ao perfil de quem recebe a mensagem
A pessoa para a qual você está transmitindo a mensagem será capaz de compreende o que você diz? De acordo com Marcos Gross, atentar ao perfil do receptor da mensagem faz toda a diferença nesse caso. Parece óbvio? Mas nem todos estão atentos a isso.

Um dos exemplos que o autor usa é a clássica dificuldade dos profissionais de tecnologia em explicar detalhes técnicos de um projeto para quem não é da área de TI da empresa. "O problema não é a falta de inteligência ou incapacidade intelectual do leigo, mas a ausência de repertório dele naquele campo do conhecimento", explica Gross.

Por isso ele sugere que o profissional preste atenção ao perfil sociocultural dos ouvintes, pensando em que palavras compõem o cotidiano deles e também em quais estímulos os deixariam motivados além das abordagens que possam ser as mais adequadas.
"O comunicador que desprezar esses passos, não estará dialogando, mas atuando em um verdadeiro monólogo", escreve Gross.

2. Investir nas três esferas da comunicação
Gross registra que pesquisas de laboratório de psicologia da UCLA (Universidade da Califórnia) conduzidas pelo professor Albert Mehrabian indicam que a composição da comunicação humana face a face é a seguinte: 55% são mensagens não verbais, 38% acontecem pelo tom de voz e 7% são verbais.

Isso mesmo, ao dirigir a palavra a alguém, muitos profissionais estão concentrados apenas em "uma pequena fração da totalidade da comunicação", explica o autor.

Por isso, preste atenção se a sua postura, o olhar, o aperto de mão, a roupa e o conjunto dos seus movimentos estão de acordo com a mensagem que você está transmitindo verbalmente, seja em uma entrevista de emprego, em uma reunião, em uma palestra.

"Explorar as três esferas da comunicação aumenta a possibilidade de sermos bem-sucedidos e compreendidos em nossas mensagens", diz o autor.

3. Saber ouvir
Há uma percepção comum que leva as pessoas a considerarem que quanto mais elas falarem e expuserem suas ideias mais poder de influência vão obter com as pessoas. Gross desconstrói esse conceito.

"Durante uma conversa, quando você se silencia e escuta o outro de maneira focada, envia uma mensagem que é interpretada positivamente pelo receptor: ele me ouve, valoriza as minhas ideias, respeita e me considera como indivíduo", diz o autor.

Ou seja, se o objetivo é aumentar o seu poder de influência e de interação com as pessoas fuja de monólogos, aposte no diálogo. "Falar muito, mas ouvir mais, muito mais", sugere o autor.

4. Apostar na assertividade
Clareza, objetividade e sinceridade são as características de quem é assertivo. É ser uma pessoa transparente em intenções e colocações. Olhar no olho ao conversar, voltar-se à pessoa com quem fala (postura), palavras alinhadas à expressão facial e tom de voz firme, claro e moderado revelam este aspecto durante a comunicação.

Para Gross, são raros os profissionais com estas qualidades já que a capacidade de ser assertivo está sujeita a situações de poder no ambiente corporativo. Como ser sincero, quando tenho medo de sofrer retaliações por dizer o que penso?

Mas, pondera, engolir sapos faz mal à saúde. "Quando um colaborador não se permite expressar suas opiniões desenvolve gastrite, dores na coluna, alergias, hipertensão, estresse, entre outros problemas", escreve.

5. Usar técnicas quando o objetivo é aumentar o impacto da mensagem
O impacto da mensagem junto ao receptor pode ser é uma questão de técnica. E, explica Gross, publicitários são talvez a categoria que mais se utilize destas ferramentas para atingir o objetivo que é "seduzir" o consumidor.

Por isso, o autor divide algumas das táticas usadas por eles e que também podem ser úteis aos profissionais de outras áreas. A primeira delas é criar mensagens que chamem a atenção. "Use textos, fotos, símbolos, cores, formas e imagens que despertem a atenção do receptor. Produza algo inédito que quebre o padrão e a rotina", indica Gross.

Em seguida, estude o público que vai receber a mensagem e adeque a comunicação. "Foque a tribo com quem está se comunicando e alinhe sua mensagem", diz Gross. Estimular os destinatários é o próximo passo, segundo ele e entender os motivos que o fariam mudar suas atitudes é o pulo do gato nesse momento. "Ofereça algo que lhe traga satisfação ou que possa resolver um problema que o aflige", escreve Gross.

Por fim, sugere, colha os frutos do seu investimento. "Em propaganda, significa conquistar o cliente a comprar determinado produto. Na empresa, pode significar vender um projeto ao gestor, aos investidores ou à sua própria equipe", explica.


Fonte:

http://revistaalfa.abril.com.br/carreira/negocios/as-5-regras-de-ouro-da-boa-comunicacao/

Os Quatro Inimigos do Homem de Conhecimento

Diz o ensinamento tolteca que o buscador do conhecimento encontra quatro inimigos na sua jornada de liberação, que são formas de maya ou ilusões-de-separatismo, atuando como assombrações capazes de serem relacionadas à provações das quatro iniciações humanas, a saber:

1. MEDO – É o temor de morrer para o velho e enfrentar o novo, o medo de perder a proteção do rebanho e rumar para coisas desconhecidas. Esta ilusão gera imobilidade e covardia ou produz ânsias por poderes psíquicos e o culto a prestidigitadores. É a ilusão da idolatria, que se começa a vencer pela devoção sincera.

2. CLAREZA – A sensação de que a nova visão de ideais representa a chegada aos mesmos, como quando alguém acha que o fetiche de verbalizar ou registrar algo tenha por si só algum poder transformador. Esta ilusão determina um narcisismo espiritual que impede uma relação criativa com as pessoas diferentes. É a ilusão da ideologia, que se começa a vencer pelo serviço sincero.

3. PODER – Na fase da iniciação, o buscador adquire conhecimento e carisma, tornando-se capaz de exercer certo grau de liderança, pelo qual pode pretender exercer alguma atividade social. Esta ilusão bloqueia a evolução, mantendo-o atado a compromissos que ele mesmo cria com suas idéias, sendo considerado o maior dos inimigos do homem de conhecimento, como quando desperta rivalidades malsãs capaz de desafiarem até a Deus mesmo. É a ilusão da ideação, que se começa a vencer pela vontade consagrada.

4. MORTE – Na derradeira etapa de evolução humana, o buscador conhece os limites da condição encarnada na velhice e ainda pode julgar incerta a eternidade, hesitando daí em dar o salto final no abismo que poderá lhe libertar, ante o único inimigo que o buscador não pode vencer de todo. Esta ilusão impede o Grande vôo da consciência ao gerar apego à vida terrena, capaz de produzir morbidez e levar o buscador a adentrar pelas vias ilusórias da feitiçaria, na tentativa onerosa de alcançar sobrevida consciencial. É a ilusão da identificação, que se começa a vencer pelo desapego à vida material.

(Autor Desconhecido)

Fonte:
http://sobmalhete.com/2014/03/03/os-quatro-inimigos-do-homem-de-conhecimento/

25.2.14

Um dia muito especial!!!

Não é mera coincidência estarmos, eu e a Rogéria, comemorando nesse dia 25 de Fevereiro de 2014 nossos 25 anos de casados. É uma bela combinação de números para representar nossa convivência, nossa harmonia desde que nos conhecemos, em 1987.

Naquele sábado, dia de nosso casamento, não sentimos nenhuma aflição, nenhuma dúvida, nenhuma sensação diferente da alegria, quase êxtase. Foi um dia comum, mas especial. Quando paro para pensar descubro, as vezes surpreso, que consigo lembrar-me de cada detalhe, de cada momento. E todos eles alegres, sem dúvida. Até o fato de fazer um pequeno corte na orelha ao fazer a barba...

Tanto tempo se passou, tanta coisa aconteceu. Vivenciamos momentos muito especiais, dificuldades e lutas, tristezas, às vezes... E chegamos até aqui... Até aqui nos socorreu o Senhor (I Sam 7:12). Que Ele mantenha-se presente e mantenha o nosso amor e nossa união, como tem feito desde o início, desde aquele dia... Um dia muito especial!