Google+ Followers

3.10.06

O coronelismo não acabou...

O "coronelismo", tão combatido e denunciado pelas esquerdas e pelo PT em geral, não acabou.

A eleição de criminosos - confessos ou denunciados - para a Câmara Federal é uma boa mostra disso. Seus "currais eleitorais" formados por militantes ignorantes ou cegos comprovam. É a moderna forma de "coronelismo", para o "moderno príncipe" de Gramsci, o Partido.

O apedeuta, o Berzoniev, o Mercadoandante, o "Zé do Blog" são exatamente os exemplos do "novo coronelismo". Talvez mais que isso. Alguns deles, mesmo sem cargo de direção formal no partido, sem cargo político ou no governo, continuam a comandar o Partido e as "massas". Como outros petistas graúdos, são mandantes. São "honestos", não sujam as mãos. Mandam seus "capangas" fazerem o "serviço". E como esses existem aos montes, podem ser descartados, deixados no caminho, depois de "fazer o serviço sujo". Afinal, já serviram "à causa" e silenciosos e felizes ficarão, por isso. Como no coronelismo, se há algo forte no Partido é a hierarquia. Os "burros" são os bagrinhos, massa de manobra ou "paus-mandados".

Até mesmo a Heloísa Helena, quando critica o PSDB e FHC, tentando caracterizá-lo como o "passado" de Geraldo Alckmin, esquece-se de dizer o quanto militou, anos a fio, no PT, sob as ordens desses coronéis. Que ajudou a enganar seus seguidores e o povão com os "ideais" do Partido, e a eleger Lula... E não adianta vir com o discurso que "o PT mudou quando chegou ao poder". Tudo o que aí está já existia, em escala menor - talvez, nos governos municipais e estaduais. Nós sabemos. E ela? Também "não sabia, não via" ?

Alguns de nós - talvez muitos - ainda não perceberam como eles atuam.. Eles acusam os outros de fazer tudo aquilo que eles fazem - ou mandam fazer - na verdade. Xingam-nos daquilo que eles são realmente.

E como são cínicos! Como lutam para inverter a acusação, para transformar vítimas e acusadores em réu, e o réu em vítima!

O coronelismo não acabou. Ele foi incorporado pelo "Novo Príncipe", o Partido, aos seus métodos e forma de atuação.

Nenhum comentário: